No topo da montanha

Quando chego ao topo, olho para baixo e sinto-me pequenina...
Acima de mim o céu, em baixo vejo o mundo e eu ali entre os dois!

Costumo dizer que para mim tudo isto é liberdade para dentro da cabeça, e só pode, aqui não se pensa, aqui o mundo só existe entre mim e a montanha... Não há muito que pensar... Só para onde vou, que pista seguir, onde quero chegar...

Medo?! Muito... Mas que posso fazer? A adrenalina desta liberdade é maior e depois de estar lá em cima pronta para descer não há como voltar atrás. Se cair... Só me posso levantar e continuar a seguir caminho. Se me magoar... Hei-de recuperar!

"Aqui sou feliz", apetece-me gritar bem alto e ouvir o eco para nunca me esquecer! Olho para o horizonte, não vejo a linha que me impõe limites, os únicos que existem são os que coloco a mim própria, e sim aqui inevitavelmente penso... Não é isso que fazemos todos os dias no nosso mundo real?!
Mas ali no topo da montanha não penso duas vezes e atiro-me...


Sem comentários