Coimbra, tem mais encanto

[ler a ouvir: Coimbra é uma lição]

Sem férias desde setembro, confesso que já faz muita falta ter uns dias para espairecer, mas como até agora não há quaisquer planos para que isso aconteça, apenas me sobram os fins de semana e vontade de partir.

A última aventura teve Coimbra como destino, cidade em que já não me recordava da última vez que por ali tinha passeado.
Fui para Coimbra sem planos, sem destinos fixos, apenas disposta a aproveitar, fui para Coimbra com vontade de percorrer as ruas, olhar as praças, parar e deixar-me ficar. Em Coimbra, fui até a universidade para sentir o peso do conhecimento e a importância de Coimbra no mundo universitário, fui até ao penedo da Saudade onde as memórias estudantis sobrevivem, passei pela Sé Nova e pela Sé Velha, cruzei o Arco de Almedina, conheci a Quinta das Lágrimas e enamorei-me pela Fonte dos Amores e a Fonte das Lágrimas, lembrando o amor de Pedro e Inês que sobreviveu no tempo. Almocei na esplanada em uma praça enquanto aproveitava os raios de sol, lanchei nas escadas do Quebra Costas a ver quem passava e descobri por acaso o restaurante Arcada Comes e Bebes para jantar, e claro que não sai desta viagem sem comer Leitão.

Vim do fim de semana com a sensação boas de que os dias tiveram mais do que 24horas, com a sensação de que o corpo está mais leve e a cabeça descansada. Vim do fim de semana com a certeza absoluta de que escapadinhas são precisas para quebrar a rotina dos dias. Agora é começar a planear um novo destino para o próximo mês!



Sem comentários