Paciência

[ler a ouvir: Lenine | Paciência]

No âmbito de uma formação, com um grupo de pessoas boas, de bom coração e de boas energias, ouvi uma música que já não ouvia há muito tempo mas que reconheci nos primeiros acordes.

Sentada a olhar uma parede, [o exercicio começava assim] enquanto durou a música, absorvi cada palavra, com a consciência plena de que tantas vezes me esqueço que a "A vida não pára".
Contra aquela parede, ao ouvir aquelas palavras pensava ao mesmo tempo, que "Enquanto o tempo acelera e pede pressa", eu me deixo ir nesta frenética passagem dos dias quando tantas vezes me deveria recusar e fazer hora e ir na valsa. 
Não deixei de sorrir sozinha ao ouvir "A gente espera do mundo e o mundo espera de nós", pois é quase sempre assim que vivemos, condicionados numa realidade dissimulada, que nem sempre nos torna mais felizes mas que vai ao encontro daquilo que consideramos ser o que a Sociedade espera de nós.
E respirei fundo quando ouvi "Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma/ Até quando o corpo pede um pouco mais de alma", e pedi que eu possa ser sempre mais calma e ao mesmo tempo eu própria, para que possa ser sempre a minha pessoa nr. 1.

Ao ouvir a música tentei recordar os lugares que me faziam lembrar palavra por palavra a letra da música, mas não consegui, era como se o Mundo só estivesse a existir naquele momento.


Sem comentários