Está tudo na cabeça


Às vezes tenho a ideia de alguma coisa que quero concretizar, e umas vezes vou procrastinando e outras vezes meto na cabeça que é para ir fundo e vou!

Na corrida tenho procrastinado, há vontade de fazer algumas provas mas nas últimas duas em que me inscrevi, imprevistos de última hora fizeram-me desistir, e assim lá fui eu alegremente deixando o tempo passar, os treinos de corrida pararem e chegar com a motivação a zero neste campo.
Mas às vezes [não muitas] tomo decisões por impulso e esta foi uma delas... correr os 10km da corrida de Santo António e sozinha!

Assim ontem, depois de ter corrido pela última vez 10km na corrida de São Silvestre de 2015 e ter corrido pela última vez em abril um máximo de 5km, lá estava eu no Rossio, na zona da partida dos "Mais60" acompanhada apenas da minha grande incerteza:: "Será que vou conseguir?".
Às 20h30 arrancava, decidida a manter um ritmo lento e o mais constante possível e o primeiro km não dei por ele, só já no 2º é que acordei para a vida, um quinto do percurso estava feito, por isso nem tudo estava perdido. Mantive o ritmo, foquei-me em alguns parceiros de corrida para me situar, e fixei um senhor na casa dos 70 anos com uma t-shirt da casa do Benfica, pois se ele ia chegar ao fim eu também. E assim segui, corri com a mente a saltitar de tema em tema, numa liberdade que em regra quando estou parada não consigo ter. Passámos os 5km, e eu seguia num bom ritmo, já só faltava metade, não podia acreditar. Foquei-me novamente na passada e mantive o ritmo, depois de deixar para trás o Cais de Sodré, estranhos juntava-se para aplaudir e dar uma palavra de incentivo, e eu sorria, como forma de agradecer aquela força que chegava num momento crítico, já só faltavam 2km e ai comecei a sentir que as pernas fraquejavam, mas já tinha chegado tão longe, não podia abrandar agora... tudo menos andar! Ao aproximar-me do Rossio, já só pensava no final, seria mesmo verdade que estava a chegar?! Cruzei a meta e foi impossível não deixar cair uma lágrima e um gritar cá dentro: Consegui!

Ao longo da corrida ouvi na minha cabeça vezes sem conta a voz da minha comadre: "Está tudo na cabeça!", e tens razão, foi essa cabeça que me fez decidir correr e manter o ritmo sem nunca pensar em desistir!

E sem treino e apenas com uma vontade imensa fiz aquele que foi até hoje o meu melhor tempo para 10km: 01:03:41
Para a próxima, sim, porque vai haver próxima, vou focar-me e dizer à minha cabeça que vamos abaixo dos 60min.



Sem comentários