Um [simples] exercício de escrita


Depois de ter escrito, aqui, sobre o workshop de escrita criativa, fez-me sentido partilhar parte do que alcancei naquele dia, e faz-me sentido partilhar aquele texto que escrevi, depois de quase 30 exercícios, quando pensava que era já difícil ter ideias, e acima de tudo conjugar frases de um exercício anterior com frases ouvidas aleatoriamente num café. No fim, fui capaz de me surpreender e o resultado foi este:

"Não é fácil dizem, na verdade sei que já não posso discutir contigo e sair porta fora, mas não é isso que quero, na verdade, recordo sempre aquela primeira vez em que me levaste pela mão, como duas crianças, e misturámos os nossos risos com o som do vento, ainda hoje me lembro das cores daquele final de dia e sorrio, sorrio sempre da mesma forma até quando me lembro do jeito delicado de quem não se consegue decidir, e me dizes: "Passa-me aqui um arroz doce e um pudim".
Estou longe hoje, e deu-me para pensar em tudo isto, talvez porque, dizem que esta cidade nunca dorme e é verdade, aqui deste lado através do vidro, observo e sorrio, porque ao longe, tão longe de casa, oiço uma voz familiar dizer em português: "O que é que falta para si senhor Zé?", e nesta minha, tua, nossa língua, penso: falta-me o meu amor!"

Photo by Killian Pham on Unsplash

Sem comentários