10 anos depois... A Sombra do Vento!


Foi em 2008 que veio parar as minhas mãos, não me lembro se foi uma compra ou um presente mas lembro-me de o ter lido num abrir e fechar de olhos, de ter ficado presa à cidade que tanto gosto e a um enredo que ia para além da minha imaginação e que se misturava com uma das minhas maiores paixões, os livros.
10 anos depois voltei a lê-lo, com o medo de quem re-lê um livro de que já conhece a história e que receia perder a magia da primeira vez. Mas isso não aconteceu, li este livro com a maturidade e a sabedoria que não tinha há 10 anos, e vivenciei cada linha como se fosse a primeira vez, a história eu conhecia-a mas ali estava ela de novo para mim, numa prosa cuidada que soube voltar a entender, num suspense velado em história de amor, numa coragem que só Barcelona pode entender.
Há 10 anos quando li a Sombra do Vento pela primeira vez, passou a ser o meu livro favorito e Carlos Ruiz Zafón o meu escritor de eleição, hoje depois de reler o livro percebo que fui ao longo de 10 anos uma espécie de Daniel Sempere que buscava os livros de Julian Carax, em 10 anos li todas as obras de Carlos Ruiz Zafón, procurei-as na língua mãe, e ainda não existia em Portugal a "La trilogía de la niebla" e já eu a tinha lido toda, assim como o "Marina". Curiosamente para ter completa a minha colecção 'El cementerio de los libros olvidados' em espanhol, só me falta um livro: "La sombra del viento" na edição de capa dura negra da Planeta de Libros e acreditem quando digo que qual Daniel Sempere até em Espanha já o procurei e não o encontrei, mas não desisto, sei que um dia o vou encontrar, talvez quem sabe, guardado no Cemitério dos Livros Esquecidos.

"Enquanto nos recordam continuamos vivos"

Sinopse
Numa manhã de 1945 um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.
Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, "A Sombra do Vento" é sobretudo uma trágica história de amor cujo o eco se projecta através do tempo. Com uma grande força narrativa, o autor entrelaça tramas e enigmas ao modo de bonecas russas num inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, numa intriga que se mantém até à última página.

1 comentário

  1. Olá,

    Só queria deixar aqui os meus parabéns pelo Blog. Está muito giro e com conteúdo interessante. Continua a escrever e a partilhar.

    Beijinhos,
    Clara

    ResponderEliminar