Anna Karénina uma história de impossíveis


Se me tivessem dito que ia ler as 787 paginas do 'Anna Karénina' de Lev Tolstoi em apenas 20 dias diria que era impossível, repetiria esta mesma palavra que usamos vezes sem conta, mas cuja realidade nos troca tantas vezes as voltas. E aquilo que parecia impossível tornou-se possível com algumas boas horas de hospital e uma paixão desenfreada pela leitura.
Apesar do nome, o livro não vive apenas da história de Anna Karénina, mas dos meandros da sociedade russa à época. O livro traz-nos a história carnal, intensa e apaixonante de Anna Karénina que desafia a sociedade e os bons costumes em nome da paixão pelo conde Vronsky, homem que perde parte da sua identidade para viver de corpo e alma este amor que nem sempre é bem compreendido pelos demais e pela própria Anna. A história de ambos é um trocar do certo pelo incerto em nome do amor, numa época em que as mulheres e o amor mal tinham voz no seu sentir. Em contraste, vivemos a história de Levin, que vive no incerto mas que sabe onde está o seu certo, apesar de todas as dúvidas e questões que o assolam ao longo da história e que o fazem duvidar do caminho que está a seguir. Vivemos com Levin o amor puro, que espera o momento certo e que não desiste de ser feliz.
Ao longo destas muitas páginas, aprendemos sobre a sociedade russa, sobre a moral e os bons costumes da época e se há momentos em que as descrições são vastas e podem fazer-nos perder no caminho, o desejo de voltar aos personagens principais faz-nos avançar para descobrir mais sobre o poder da vontade de cada um.
Apaixonei-me pela história, por cada personagem, apaixonei-me em cada linha que li, e o resultado foi este, 20 dias depois tinha devorado as 787 páginas do Anna Karénina. Por isso, na dúvida, acreditem sempre que não há impossíveis.




Sem comentários