Berlim, uma cidade a não perder


Berlim nunca foi uma cidade que tivesse curiosidade em conhecer, não sei explicar porque, mas não sentia qualquer ligação à cidade que me fizesse escolher esta em detrimento de outra, mas depois de em 2012 ter ido a Frankfurt e de em 2016 ter ido à Polónia, começou a fazer sentido conhecer a cidade que tanto impacto teve na história nos últimos 100 anos. E foi ai que Berlim me surpreendeu, porque descobri que os alemães não escondem o seu passado, e é por esses meandros que vale a pena percorrer a cidade.

Para começar a conhecer a cidade, aconselho o free tour da Sandemans New Europe, são 3 horas a percorrer os principais pontos de interesse sempre acompanhados de explicação histórica, o que ajuda a definir o plano a seguir no resto da viagem.

Para conhecer (mais) sobre a IIª Guerra Mundial, é obrigatório visitar:
[♥] Monumento à memória dos judeus assassinados ou Memorial do Holocausto, onde existem 2711 blocos de cimento de várias alturas que representam estas vítimas;
[♥] Topografia do Terror, no lugar onde era a sede da Gestapo, onde foram planeadas e cometidas grandes atrocidades.


Para conhecer (mais) sobre o muro de Berlim, que dividiu a Alemanha em dois durante 28 anos, os pontos de visita obrigatórios são:
[♥] Memorial do Muro de Berlim, para conhecer a história da sua construção, evolução assim como o impacto que teve na comunidade nomeadamente a que vivia na zona de divisão
[♥] East Side Gallery, 1300metros de muro de Berlim com pinturas de artistas de todo o mundo.
[♥] Checkpoint Charlie, para ver o posto de controlo mas também a exposição ao ar livre que detalha acontecimentos dedicados às tentativas frustadas e às bem sucedidas de passar do lado east para o west

Também são pontos de visita obrigatória:
[♥] Portão de Brandenburgo, o postal mais conhecido de Berlim, e o único portão de entrada na cidade que sobreviveu até aos dias de hoje;
[♥] Reichstag, o prédio do parlamento alemão, onde é possível visitar a cúpula e o terraço através de marcação online;
[♥] Berliner Dom, com um altar extremamente rico, mas onde a subida à cúpula permite ter uma visão360 sobre Berlim onde é possível identificar alguns dos principais pontos de interesse da cidade;
[♥] Museu de Pergamon, onde por mim só pela porta de Ishtar já vale a visita, uma vez que a sua obra mais conhecida o Altar de Pérgamo, está em restauro até 2019.


Visitei Berlim no mês de dezembro, a data não foi aleatória, é o mês do Natal, das luzes, do glühwein e dos mercados, por isso há sempre um diferente para conhecer todas as noites, assim é obrigatório fazer uma paragem no:
[♥] Gendarmenmarkat, para além de a praça ser lindíssima, é um mercado com mais classe e onde todos os dias há concertos;
[♥] Alexanderplatz, onde existem cerca de 100 barraquinhas uma pista de gelo e uma roda gigante.


Nesta viagem o foco não foi comida, como na de 2017 a Londres, mas ainda assim seguindo as sugestões da Rita da Nova, tomei um pequeno almoço divinal de papas de aveia na Haferkater, e almocei num sítio lindíssimo, o House of Small Wonders, onde comi os melhores ovos benedict de sempre.

Berlim, tem muito para ver e muito para descobrir, por isso, a única coisa que me passou pela cabeça foi: mais vale tarde do que nunca.



Sem comentários