Letter to My Daughter | Maya Angelou


Para o mês de fevereiro o Clube de Leitura by Cláudia, desafiou-nos a ler um livro sobre o tema: Cartas. E eu, que até sou uma pessoa que (ainda) gosta de escrever cartas e à moda antiga ir aos correios enviá-las, não tinha ideia nenhuma sobre o que escolher. Mas ao passar em uma livraria, vi na montra o livro da Maya Angelou, "Carta à Minha Filha" e pensei que era o livro perfeito para o desafio, o nome encaixava-se completamente no tema, e até aos dias de hoje nunca tinha lido nada da autora. No entanto, porque quero ir lendo em outros idiomas, decidi comprar o livro na sua versão original: Letter to My Daughter.

Engane-se quem pensa que vai ler as cartas que a autora escreveu para a sua filha, porque esta apenas teve um filho, fruto de uma relação fortuita que relata em uma das primeiras cartas deste livro. Mas numa homenagem a todas as mulheres, às mulheres que cruzaram e marcaram o seu caminho, a autora escreve este livro, dedicando-o à filha que nunca teve, e que pode ser qualquer uma de nós.
É um livro de leitura fácil, onde através de uma escrita simples e um sentido prático, Maya Angelou, vai partilhando a sua história de vida. Não são precisos longos textos para falar, sobre o que na verdade importa, sobre o essencial da vida, e estas cartas não são mais do que pequenos ensinamentos e reflexões de e para a vida, que de uma forma autobiográfica Maya Angelou partilha connosco.

"The ship of my life may or may not be sailing on calm and amiable seas. The challenging days of my existence may or may not be bright and promising. Stormy or sunny days, glourious or lonely nights, I maintain an attitude of gratitude. If I insist on being pessimistic, there is always tomorrow. Today I am blessed."

Um livro que todos, mulheres e homens, podemos e devemos ler.

Letter to my daughter | Maya Angelou (2008) | Virago Press

Encontra na Wook (em português): aqui


Sem comentários